Mesmo depois de todo esse tempo






Ler ouvindo: Hilary Duff - Tattoo

Incrível como a gente sempre idealiza o grande amor da vida. Incrível como eu sempre tive certeza de que éramos feitos um para o outro e de que nada poderia abalar a nossa relação. Sempre estive muito certo disso e nunca me passou pela cabeça, na verdade passou, mas de maneira irrelevante, que um dia não seria mais você e eu, eu e você.

Já se passaram alguns meses desde que você me disse "adeus" e, por maior que seja a minha raiva, não consigo te odiar por completo, porque parte de mim ainda te ama, ou acha que te ama. Fiz terapia, fiquei com outras pessoas, conheci novos lugares, escutei novas canções e adquiri novos hábitos, tudo na tentativa de "superar" você. Por um tempo acreditei ter superado. Porém, toda vez que lhe vejo, sinto calafrios, um aperto enorme no coração, uma sensação de vazio e o pior, uma angustia acompanhada de tristeza. É um misto de sensações que nunca tive por alguém e que nunca pensei que pudesse ter um dia.

Te vejo feliz, sorrindo, às vezes esnobando, beijando outras pessoas, seguindo a vida e isso me machuca mais ainda, porque o egoísmo bate na porta e logo vem um pensamento de "por que ele não está sofrendo também? Por que só eu sinto essa dor até hoje?"

Talvez porque eu tenha te amado tanto e de uma maneira errada, te colocando acima de qualquer coisa – acima de mim, mas me parecia tão certo fazê-lo, seu sorriso me alegrava, seu abraço era um conforto, seu simples "bom dia amor" fazia com que meu dia fosse melhor, te tocar me aguçava todos os sentidos e um turbilhão de pensamentos, te ter ao meu lado era como ser um super-herói e ter a cidade ao meu redor, me adorando, me amando.

Sempre ouço e leio as pessoas falarem sobre superação, mas não acho que eu vá lhe superar. Porque não tenho o que superar. Apenas aceito o fato de que não fomos feitos um para o outro e que, apesar disso, você vai continuar sendo o amor da minha vida. 

Espero conseguir seguir com a minha vida, dar espaço para uma nova pessoa, aceitar um novo amor, que desperte em mim o que você despertou. E que desta vez eu faça diferente, não amando menos, mas amando da maneira certa e me amando em primeiro lugar. Afastar as pessoas de mim tem se tornado um hábito, evitar segundos encontros já é rotina, escuto uma palavra carinhosa e já fico com medo de todo o processo, porém estou em tratamento, físico e emocional. Não sei se quero ou consigo ter um segundo grande amor, minha cicatrização ainda não terminou, então tudo dói, gradativamente mais leve, porém dói.

Creio que futuramente estarei lembrando disso com um sorriso no rosto e pensando "não achei que fosse passar, mas passou"!

2 comentários:

  1. meu deus!!!!!!
    até prefería alguma do Luan Santana,deve ser menos brega....

    ResponderExcluir
  2. ai guthho que lindo esse tecto ein
    AMEI O POST <3
    XOXO <3
    http://dosedestrelas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir